Boys: vamos falar de macho?

Eu já fui uma dessas. Já achei que ser feminista era não ficar perdendo tempo com papinho de macho. Que mulher moderna tem que ter papo afiado de política, de cultura e ciência. E tem. Também. Por quê não falar de macho também? E esse meu pensamento é novíssimo: foi despertado por este clipe aí. Assiste, vai, nunca te pedi nada.

“Garota Nacional” do Skank ou “Faith” do George Michael, pra citar dois vídeos que me vieram rapidinho a memória, celebravam as mulheres em sua pequena diversidade (jovens, magras, lindas, famosas). E ninguém achou ruim. É normal consumir e dissecar a anatomia feminina, somos olháveis, julgáveis, vendáveis. E o caminho reverso?

Por que não presentear os olhos com homens deliciosos? Por que não achar homens deliciosos? Por que não babar? Por que não falar sobre isso? Por que falar de machos lindos é bobagem?

macho-boys-charlie-xcx-criaturagg-02

O clipe, co-dirigido pela própria artista, a inglesa Charlie XCX, até o momento era uma ilustre desconhecida pra mim, é uma pequena joia sobre a beleza masculina, sobre esses seres adoráveis que, mesmo com as ditas imperfeições, nos arrancam suspiros e sonhos.

Recheado de momentos simples, sexies e bem humorados, a peça celebra aquelas pequenas coisas que nos arrepiam a espinha. São takes rápidos, coloridos e cheios de beleza! Tem gordinho, bad boy, feminino, tatuado, nerd. Não é objetificação: é um convite ao deleite visual.

E eu, aceito. Moscas, pegamos com mel, certo? Vamos relaxar? Admirar os moços não é crime, não é atraso na nossa luta.

macho-boys-charlie-xcx-criaturagg-03

2 comentários em: “Boys: vamos falar de macho?

  1. Hoje vim aqui pegar um link antigo (o post do jeans bordado) e fiquei feliz em ver que o blog voltou. <3
    Eu já falei isso outras vezes, mas vou repetir hahaa, eu sou muito grata por ter tido contato com a revista Criatura GG ainda novinha (nem tanto).
    Vou agora ler todos os posts desse ano e torcer para que não "sumam" mais.

    Bjs

  2. Oi, Kalli! Você foi uma das primeiras inscritas no CGG, sabia? Orgulho nosso ver como você cresceu e deu continuidade a voz mais crítica do movimento =)
    Amamos o seu trabalho também!
    Na verdade, a continuidade se dá mais por conta de uma irresistível vontade de falar, sabe?
    Bjs e quando estiver em SP vamos nos ver finalmente hein?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *